Vamos deixar o texto ser o protagonista?

Muito mais importante que o escritor, é o texto produzido, esse deve passar a mensagem de forma clara e objetiva ao leitor, seja de qual gênero for, é essencial tornar a experiência do ato de ler prazerosa.

Depois do texto, de fato, produzir o que foi determinado pelo escritor e cumprir seu papel comunicativo, projeta instantaneamente seu autor ao momento de reconhecimento como tal. Sempre primeiro o texto e posteriormente o escritor será reconhecido.

É notável que este detalhe passe despercebido, somente o leitor mais atento nota o quanto o texto rouba a glória do autor, transformando em um simples produtor. Isso é característica de um bom texto que produz, e é preciso produzir, a comunicação, afinal, qual o sentido de ser, se não faz o que deve fazer? O conhecimento do escritor deve ser transmitido de forma clara e objetiva sem deixar lacunas para interpretações tempestivas e ambiguidades.

O leitor sente na leitura a necessidade de terminar, e encontra ao final o contentamento de se envolver com aquele texto e disposto horas para a leitura, assim absorvendo conhecimento e informação.

Se o simples fato do texto comunicar-se com o leitor, já produz o prazer e a satisfação da leitura, quanto mais o texto que é protagonista e brilha por si. Isso não desfaz do escritor afinal, receberá o galardão, o prêmio de reconhecimento pelo belo trabalho.

Enfim, o texto deve ser livre para comunicar com o leitor, o escritor deve ser atento para que faça do texto um protagonista de fato, o leitor tem a possibilidade de julgar a relação entre o texto e seu criador, tornando-se assim mais crítico e preparado para reflexões mais profundas.

Aprimore, Melhore , Atribua valor.

Revise

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima